Um vai e vem para o mesmo lugar

Eu nunca fui magra, e na adolescência não conseguia me sentir bonita. Demorou para que eu aprendesse a me curtir, e hoje, mesmo fora do peso ideal, sei que posso me vestir bem e não discuto mais com o espelho… muito menos com a balança!

Adolescência obesa

Até os oito anos, posso dizer que fui uma criança normal — ou fofinha. Comia muito bem e minha mãe me vestia com um guarda-roupa típico de menina mimada. Meu armário estava repleto de vestidos — com babados, rendas ou estampas delicadas –, saias, sapatilhas, botas, meias-calças, boinas, tiaras.

Durante o meu primeiro ano de vida e aos quatro anos: bem vestida, de maneira adequada para cada ocasião (Fotos: Arquivo Pessoal)

Quando eu tinha nove anos, meus pais se separaram. A partir daí, comecei a exagerar nas guloseimas. Repetia o prato de comida com frequência e “assaltava” o freezer da padaria, levando para casa sorvetes e mais sorvetes. Em pouco tempo, perdi todas as minhas peças caprichadas e renovei meu figurino na Side Play – na época, loja de bastante sucesso entre os pré-adolescentes -, com meias, camisetas, calças e blusas de moleton com estampas de personagens dos desenhos animados. Minha mãe se desesperou.

Aos 13 anos eu pesava 100 kg, e não conhecia a vaidade. Passei a ser vigiada no quarto, na sala e na cozinha, mas encontrei a solução: comer na casa de uma amiga. Fui descoberta e novamente me safei: me mudei para a casa do meu pai.

Dos nove aos 13 anos, atingi os 100 kg e deixei a vaidade de lado (Fotos: Arquivo Pessoal)

A roupa que cabia em mim

Eu era aquela típica menina que ouvia todo dia: “Você tem um rosto lindo!”. Perdi as contas de quantas vezes meu rosto foi elogiado e meu corpo depreciado… Quando achei que poderia me esconder para fugir das críticas e dos maus olhares, passei a usar blusa de moletom de manhã, de tarde e de noite, sem levar em consideração a temperatura que fazia. Isso me transformou em motivo de chacota na nova escola, onde minha família decidiu que eu faria o colegial.

Durante a adolescência, a finalidade do moletom era a de esconder as gordurinhas (Foto: Arquivo Pessoal)

Os alunos pertenciam a uma classe social superior à minha e sofri diferentes tipos de preconceito nos três anos que fiquei por lá. As garotas se vestiam com calças de grife, Colcci, Zoomp e Diesel, enquanto eu usava a que cabia em mim e no meu bolso, e que, nitidamente, não tinha etiqueta invejável. A sensação de inferioridade era tremenda, inclusive dentro de casa, já que o meu irmão seguia a genética da família e não apresentava tendência à obesidade.

Ao lado do irmão mais velho: aos quatro anos, aos 14 e aos 18: superação (Fotos: Arquivo Pessoal)

O fim do moletom

Um belo dia, a mãe de uma amiga querida me convidou a dialogar com o espelho. Juntas, analisamos minhas curvas usando a blusa de frio, e depois sem ela. Só então eu pude notar que aquela peça de roupa larga, que escondia minha barriga, me fazia parecer ainda mais gorda. No dia seguinte,  decretei a abolição do moletom.

Muito prazer, vaidade

Pedi ajuda para quem não mediria esforços para me ver feliz: minha mãe. Em seis meses eliminei 30 kg. Aos 15 anos, fui dos 97 kg aos 67 kg, após uma temporada num spa, aplicação de enzima e drenagem linfática. Eu não conhecia mais o gosto de um chocolate ou de uma picanha, mas já podia entrar em uma calça da M.Officer e distribuir abraços a todos que me elogiavam, sem medo de ser desprezada. Nessa época, descobri como era ser popular e ainda estava livre dos camisetões. Uhu! Fiz mechas loiras no cabelo e passei a alisá-los para ir à escola. Eu era outra pessoa.

Ao me deparar com produtos de beleza, tentei correr atrás do tempo perdido e experimentei diferentes cores de cabelo, cortes e penteados (Fotos: Arquivo Pessoal)

Se eu me identifiquei com aquela nova Carla? Sinceramente? Não. Nem um pouco. Ganhei novos amigos e recebi convites para festas e encontros. Mas passei a viver para os outros, comer para os outros, me vestir para os outros. Acordava mais cedo para escovar e chapar o cabelo com receio de decepcionar a turma. Eu havia mudado minha aparência, mas não a minha mente. O novo corpo não me realizava e eu continuava frustrada. Voltei a comer.

Tentativas de emagrecimento

Entrei na faculdade usando manequim 42 e lutando contra a balança, porque não queria engordar e ser isolada mais uma vez. Tomei inibidor de apetite (sibutramina) sem me importar com os riscos à minha saúde. Meu primeiro namorado, assim como colegas de classe e do trabalho, reclamavam das minhas mãos sempre geladas, do meu desânimo e principalmente da minha constante alteração de humor, efeitos colaterais decorrentes do uso freqüente da medicação. Tentei, então, fazer famosas dietas, como a da USP, a do tipo sanguíneo e a da sopa. Tentei também seguir os Vigilantes do Peso. Nada adiantou.

Durante tratamento com inibidor de apetites: peso ideal e falsa alegria (Fotos: Arquivo Pessoal)

O ponteiro da balança começou a subir e não me convencia a fechar a boca. Afinal, conforme eu engordava, meu namorado apaixonado me achava ainda mais linda e eu não tinha mais a quem decepcionar. Na faculdade fiz um novo círculo de amizades, com pessoas de diferentes etnias, estereótipos e classes sociais, e não sentia necessidade de me adequar. Ufa! Toda essa luta não foi em vão, já que passei a gostar de jogar os cabelos mais louros para um lado e para o outro. Também adorei estreitar relações com o lápis de olho, o corretivo, a base, o pó, o blush e o rímel, e vira e mexe caprichava na maquiagem principalmente para me sentir bem, não exclusivamente para agradar os outros. Ainda descobri a existência de lojas como Zara, Khelf, Opera Rock, Triton, TNG, C&A, entre outras, de onde, garimpando, conseguia embaralhar peças de roupa e criar diferentes visuais sem gastar muito. Usando manequim 44/46, comprei calças, blusinhas, uma bela bota e acessórios.

Mostrar meu braço gordo? Jamais!

Embora eu tivesse aceitado que seria gordinha, tirar a roupa era uma questão mais delicada. Eu era complexada e nem a minha mãe conhecia mais a cor das minhas pernas. Eu pisava nas areias da praia de calça bailarina e nunca era vista de blusinha regata. Mostrar meu braço gordo? Jamais! É meu, é mole, é branco demais e ninguém precisa ver. Deixe que vejam meus olhos e meus cabelos, que sempre foram elogiados. Já não está bom? Eu não tinha saia, bermuda, shorts ou vestido. Achava um absurdo quando alguém dizia que era normal uma gordinha exibir as pernas. Iniciei um namoro e engravidei. Cheguei aos 105 kg num piscar de olhos e fui obrigada a deixar as minhas amadas calças de lado, por falta de numeração. As saias iam até a canela ou o pé, e eu me sentia um monstro.

Grávida de cinco meses; No chá de bebê, com um barrigão de sete meses, 103 kg e inchada (Fotos: Thalita Zaffalon/Arquivo Pessoal)

Aos 20 anos, mais gorda do que nunca e até com o nariz inchado, era impossível me achar bonita. Com os hormônios à flor da pele, eu estava chata e infeliz. Meu filho nasceu, eu o batizei de Lucas, mas foi difícil assumir o papel de mãe. Como eu amaria alguém sem antes me amar? Porém, durante os momentos de amamentação, alguma coisa aconteceu… Refleti e percebi que meu corpo, que até então era tratado com desprezo por muitos, inclusive por mim, agora era o responsável pela alimentação e sobrevivência de um ser que mirava o olhar no meu e segurava as minhas mãos. Ele se sentia acolhido naqueles braços que me envergonhavam.

Prestes a beijar o Lucas pela primeira vez; Lucas com um ano e meio: lindo, bonzinho, um anjo na minha vida! (Fotos: Eric Zafalon/Arquivo Pessoal)

Vida nova

Hoje eu estou em paz com cada pedacinho do meu corpo. É difícil uma mãe não dar razão ao filho, e o meu, que está com três anos e meio, vive dizendo que eu sou linda. Outro dia ele acordou me chamando de princesa. E eu realmente sou uma princesa… Vivo com o meu pequeno príncipe dentro de um humilde castelinho. Juntos, adoramos comer chocolate! (risos)

Troca de carinho nas areias de uma praia de Floripa (SC) (Foto: Vanessa Mendes)

Agora que já falei do meu filho, vou dar voz à minha mãe, Tania Queiroz, que me ajudou a vencer o preconceito que um dia eu tive de mim mesma. Quem sabe outras mães possam ajudar suas filhas a superar a falta de amor-próprio.

“Nossa cultura apresenta padrões de beleza que reforçam a magreza e a Carla sofreu muito no processo de seu desenvolvimento. Eu, como mãe, sempre priorizei a sua felicidade. Para vê-la mais feliz, busquei fazer a vontade dela, procurando caminhos e tratamentos para ela emagrecer. Muitas vezes funcionou, ela alcançava o peso ideal, mas em pouco tempo recuperava o peso antigo. Confesso que o fato de seu peso estar acima do considerado ‘ideal’ nunca me afetou, pois sempre vi minha filha pelo que ela é, pensa, sente, age e reage. O corpo é apenas uma forma, e ela está além dessa forma.”

Vaidade transferida de filha para mãe (Foto: Arquivo Pessoal)

Por hoje é só. No próximo post vou contar o que fiz para tentar me enquadrar no padrão fashion vigente.

173 comentários a “Um vai e vem para o mesmo lugar

  1. alexsandra

    poxa,fiquei muito comovida com o depoimento que voce deu sobre sua vida,pois eu passo pelo mesmo problema porque me acho feia porque tenho 13 anos e 70 kilos ,mais lendo tudo isso vi que a vida nao ou seja nos todos(as)nao precisamos ter um corpo perfeito pra poder nos sentirmos feliz ,basta nos aceitarmos como somos ,nao importa o que os outros dizem,porque eles nao sabem o quanto sofremos porcausa das chacotas e humilhaçoes
    adorei,visitar seu site ,vc e muito especial local que moro: (teresina-pi)

    Responder
  2. Lia

    Fui uma criança magrinha, e quando adolescente até os 24 anos tive um corpo lindo, todos elogiavam, não sabia o que era gordura e comia tudo eu que eu queria e pensava que nunca iria engordar. Aos 24 anos, tive meu filho e tudo mudou, ganhei 17 quilos na gravidez e simplesmente não conseguia me livrar deles. Minha vida passou desde então a oscilar entre regimes e fases de grande comilança, que desencadeavam vômitos escondidos no banheiro, nunca mais me encontrei com meu corpo. Nunca mais fui à praia, passei a odiar o verão, porque não podia me esconder nas minhas roupas. Seu depoimento é lindo, e me ajudou a tomar uma atitude e retornar ao corpo no qual me identifico e de forma definitiva. Obrigada,

    Responder
  3. Leslie Monteiro

    Nossa, eu chorei tanto com esse post, eu me vi em cada palavra, em cada detalhe… senti vergonha quando vc disse q sentiu e pelos mesmos motivos… porem quando cheguei na parte q vc diz :

    …Refleti e percebi que meu corpo, que até então era tratado com desprezo por muitos, inclusive por mim, agora era o responsável pela alimentação e sobrevivência de um ser que mirava o olhar no meu e segurava as minhas mãos. Ele se sentia acolhido naqueles braços que me envergonhavam….

    Pude perceber o quanto estou sendo idiota, tendo preconceito comigo mesma, e ainda achando ruim q os outros tenham, meu marido naum cansa de me dizer q me ama assim , muita gente diz q tenho um charme q e so meu.. e mesmo assim eu eu deixei a depressao tomar conta de mim , a ponto de quase secar o alimento da minha filha, meu leite….
    de tudo q eu ouvi e li, essa foi a coisa mais linda, a maior licao… e do fundo do meu coracao eu queria te agradecer , te desejar toda felicidade do mundo, e uma chuva de bancaos, pelo ajuda indireta q vc me deu…

    Obrigada…

    Responder
  4. sheila

    Adorei a sua historia,tenho 20 anos e peso hj 58 kg mais ja cheguei a pesar 65 kg não consigo me assume ainda fisicamente, me escondo nas roupas não uso saia,vestido nada que mostre minhas pernas ou meu braço não consigo assume meu corpo por mais que falem que sou bonita e que estou bem, não consigo enxerga essa beleza que tantos falam. Admiro muito você por td q ja passo e por motivar pessoas assim como nós que temos esse complexo de beleza perfeita q não existe mais mesmo assim incomoda muita gente.bjss

    Responder
  5. Andrea Mentor

    amore, coisa mais linda seu depoimento, sua historia, assim como vc, seu filho, sua mae. amei. beijo grande querida, Andrea Mentor – olivianadapalito.blogspot.com

    Responder
  6. Juliana

    Que legal o trabalho com moda para gordinhas!
    Uma pergunta: Carla, qual é o gloss que você está usando nessas fotos? Que cor bonita!

    Um beijo

    Responder
  7. Bete

    Sua história é a mesma de muitas de nós que sofremos o preconceito de ser gordinha.
    Mas quando nos descobrimos amadas e desejados pelo que somos, começamos viver a vida de uma forma plena.

    Um beijão

    Responder
  8. Gisele

    Nossa! Como chorei lendo este post. E como me identifiquei com vc. Na busca por uma beleza idealizada somos cruéis com nós mesmas e isto é muito triste. Tenho um filho de 3 anos tbm e ele também fala assim: Mãe vc é linda!

    Responder
  9. Thaís

    Caaaaa, você é tudo de bom, miga!!!
    Obrigada por deixar eu fazer parte da sua vida (eu lembro da história do moletom… rs rs rs)!!! Parabéns por ser quem você é!!!
    Beijocasss
    Te adoro

    Responder
  10. Gra

    Acho vcs todas lindas e poderosas!!!
    Mas não consigo me enxergar assim!!
    Isso é porque vocês se amam e se aceitam do jeito que são… coisa que eu ainda não consegui fazer.
    Tenho 1,69m e 74kg… mas já cheguei a pesar tanto 64kg qto 84kg.
    Comecei a engordar com 8 anos, até então era magrela. E desde lá, sofro lutando contra a balança… dietas, academia a doidado, já cheguei a tomar sibutramina,… ihhh só quem é gordinha sabe td que fazemos!!

    Responder
  11. Raquel

    Seus textos são muito legais, pra todos. Eu nunca fui “plus size” e sempre me identifico com as coisas que você escreve. Nesse texto em especial, é tocante a parte em que você fala de como o seu filho te fez crescer. Imagino que ele vá gostar muito de saber disso. Também achei especialmente interessante o tom culpado com que você fala de comida na sua adolescência, e o tom leve que você usa pra dizer como você come chocolates hoje. O problema não é nem de longe comer demais, isso pra mim é um prazer, que deve ser aproveitado: nada mais gostoso do que comer chocolates até cansar com as amigas na páscoa, ou repetir quantas vezes eu quiser no almoço delicioso com o meu namorado no sábado. Só não quero mais ter ataques de lata de lixo, colocando tudo pra dentro de mim, como se isso fosse me ajudar a me sentir melhor.
    Obrigada por dividir conosco as suas experiências. Sugiro ainda que você compartilhe dicas de moda e beleza de acordo com o seu bom gosto. Eu ia adorar.

    Responder
  12. Rita

    Carlinha…
    Q emoção ler tudo q vc escreveu e viveu….

    ….como naquele dia, quanto tempo já passou….e parece que foi semana passada,
    olhando ao espelho….vc me olhando com moletom, com o seu moletom!!
    vendo vc sem aquele agasalho ….Era nova Carlinha! Mais leve e sem calor…rs lembra que tarde ensolarada que estava?

    Vc está ensinando pra mim (aquilo que um dia tentei passar pra vc…) q podemos tirar o moleton ( ou qualquer coisa que nos impeça de crescer ) e se transfomar todos os dias de nossas vidas; só basta encarar o moletom, o espelho e acreditar em nós mesmas.
    Acreditar que a vida é feita de transformações.
    Te adoro minha menina!
    Um abracinho com cheirinho de moletom
    Bjus
    Rita

    Responder
  13. REBECA

    Carla, você é D+. Nossa vc consegue a cada post me mostrar que eu estava certa quando eu olho pra mim e me acho linda. Só tenho uma pergunta como você lida com os comentários das pessoas ?

    Bjus

    Responder
  14. Karina Ramos

    Sinceramente Carla, eu me identifiquei muito com vc. Eu já passei por situações muito parecidas. Aos 13 tbm estava muito acima do peso para minha idade e sofri muito.Já tive bulimia,anorexia e aos 15 pesava 47 kg, o que é muito pouco para minha estrutura corporal e principalmente me sentia horrivel msm estando muito magra. Eu sempre queria mais. Me entregava a compulsão e engordava 3kg num fds…e depois morria de culpa! Nos últimos tempos testei a dieta das notas, realmente funciona e tudo mais, só que houve uma hora em que não via mais sentido naquele controle mental que ela me causava.Atingi meu peso “ideal” 52kg mas não mantive. Hoje peso 57kg e sinceramente não me sinto bem comigo, aliás me sinto bem, mas minha mente me diz que não posso me achar bonita. Aparentemente sou magra, mas o dificil é me convencer disso e gostar de mim. Te admiro por ter a coragem e determinação em se aceitar, vc é muito bonita msm!! ^^ Obrigada por partilhar sua história.
    Karina

    Responder
  15. Marina

    Caraca, Carla, me vi d+ no seu ultimo post! Poxaaaaa. Não vou ficar repetindo o q as outras falaram, mas tenho uma diferença entre elas, eu me acho linda, eu me amo. E isso foi conquistado de uma maneira q eu não sei lhe dizer qnd eu passei a me amar tanto. Sempre fui gordinha, e outra diferença entre sua história, sempre fui muito popular no colégio, sempre fui rodeada de amigos, homens e mulheres. Nunca me deixei abater por ser gordinha, vou p a balada td fds, saiu bastante, danço mt, e modesta a parte, danço mt bem hehehehehe… Acho q o fato de eu não deixar ngm, de fora da minha casa, tocar no assunto ‘regime’, me ajudou a gostar mais de mim. Nunca gostei d contar a ngm qnd to fazendo uma dieta nova. Enfim, não sou tão assumida qnt vc, d levantar a bandeira e assumir ‘sou GG’, creio q achei o seu blog pq tava procurando dicas de roupas p gordinhas. Tenho muitas idéias p trocar c vc, queria mt, se possível, conversarmos por e-mail, pq como lhe disse não sou mt assumida. Se puder… Beijos, e parabéns. P.s.: Lucas é lindo, tem cara de danado hehehehe

    Responder
  16. Bruno Ferreira

    Moça, é brincadeira: você é uma deusa em forma de gente!

    E se contasse só o aspecto físico, já seria fantástico.

    Mas além disso tem a nobreza de caráter. Quanta nobreza!

    E vivam os gordos, magros, pretos, azuis, verdes, cegos, doidos, vascaínos. Um viva para para as pessoas!

    Responder
  17. Sandra

    Carla gosto muito da sua historia!!!!
    Leio todos os seus posts…
    E vc é prá nós gordinhas uma fonte de inspiração.
    Não deixe nunca de escrever….
    Passei pelo mesmo caminho que vc…
    meus pais se separaram…engordei (89 kg)…emagreci quase 30 kg….achei os 30kg….passei da casa dos 100! (coisa que nunca tinha acontecido)…
    Usei muita blusa de moletom….e camisetoes….
    Hoje tô com 110 kg na luta DIARIA contr a balança…
    Conta como vc passou dos 105kg para os 87kg.
    Foi “fácil” que nem aos 15 anos (qdo vc perdeu 30kg)?
    Eu perdi 30 kg uma vez mas agora aos 26 anos parece tão dificil…
    Parabens!

    Responder
  18. Rodrigo Vieira

    Tá vendo só como não precisa ter um corpo que a maioria ache bonito para ser feliz?

    E digo mais: nós homens podemos achar bonito um corpo escultural, mas não vamos dar a mínima pra isso quando encontramos alguém bonita e em paz consigo mesma.

    Conheço várias mulheres que se consideram gordinhas e que tem problemas com isso, mas são tão bonitas e legais que realmente o fato de ser gordinha fica totalmente em segundo plano.

    Agora, é claro que a pessoa precisa se cuidar. Ser gordinha não significa ser descuidada consigo mesma, como é o seu caso. Pode ser gordinha sim, mas é muito bonita. Mesmo.

    Continue sempre assim!

    Responder
  19. Laura

    Vivo, praticamente a sua história porém ao inverso, mesmo sendo magra luto constantemente com a balança, sempre quero chegar cada vez mais as formas perfeitas,não estou satisfeita com o meu corpo,muito menos com a minha aparencia .Já tentei de tudo mudar o visual,para de comer, tomar remédios (tantos q perdi a conta ) ,novo corte de cabelo, porém nada faz eu me aceitar como sou , e cada nova tentativa fracassada uma nova frustação.
    Atulamente uso manequim 36 porém não me sinto bonita,muito menos vaidosa por isto,sempre fui muito cobrada ainda,mais pela minha infancia ter sido uma gordinha que era motivo de comentarios maldosos pelos colegos de classe e pela minha propria familia.
    Atualmente vivo em constantes mudanças de humor e uma briga inevitavél com o espelho, não consigo me aceitar como sou,muito menos me achar bonita e atraente, é aquela velha história do patinho feio.Mas que para mim é uma tortura,mal saio de casa e quando saio é colocar o pé para fora de casa e já querer voltar.
    Por isto admiro pessoas como vc que souberam dar a volta por cima, e tento me espelhar para tentar fazer da minha vida uma maneira mais facil para se viver.

    Responder
  20. Ju

    Tô me achando ahahahha por ver minha foto e por saber que uma pessoal tão especial como vc faz parte da minha vida! Que delícia ler seu texto! Não é só a questão da identificação, mas é bom mesmo acompanhar a forma como vc escreve!
    To curtindo muito.

    beijos e muitoooooooooo parabéns!

    Responder
  21. sara savaldor ba

    Olá CARLA,vc não tem noção do qnto me senti na sua história lembrou tanto o meu passado/presente,qndo li eu tinha acabado de comer um pastel e vomitado tudo depois eu sofro com esse problema a mais de 1 ano e é horrível eu perdi 20 quilos mas ainda me sinto gorda,feia,perdi muitos amigos por causa disso eu malho faço boxe mas não adianta ganho tudo de novo qndo como…fico tão mal…CARLA fiquei tão..tão emocionada com sua história sinceramente vc tem muito ainda pra mim ensinar…olha gostaria de solicitar q qndo vc puder e caso vc esteja lendo mande um e-mail pra mim para compartilharmos experiências…até pensei nessa ideia de plus size levo geito adoro fotografar…fiz teatro muitos anos mas minha auto estimas não deixa,chega de te abusar fica com DEUS e um cheiro no seu filho!

    Responder
  22. narciza

    fico muito feliz de saber que existem mulheres verdadeiras e com coragem de falar abertamente sobre seus problemas como você. infelizmente a obesidade avança sobre o país desde muito cedo, as mães querendo agradar seus filhos, fornecem a eles refrigerantes todos os dias, biscoitos recheados, bolos de chocolates e outros lanches que não oferecem nada de bom a criança. é claro que a criança deve também saber o gosto destes “lanchinhos” mas tudo com moderação. peso 65kg com altura de 1.65, assim como muitas, também não estou satisfeita nem com o meu corpo, nem com o meu peso. minha meta é atingir no minímo os 55kg. com vontade e perseverança irei conseguir. beijos, obrigada pela oportunidade.

    Responder
  23. Paulo Manso

    Oi prima. Parabéns pelo espaço e pelo texto. Estou orgulhoso de você! Tenho certeza de que mesmo com eventual despretensão você vai ajudar muita gente com seu trabalho. Mil bjs,
    Paulinho

    Responder
  24. natalia maciel

    ja assinei…adorei que existe gente como vc, pra melhorar a auto estima dessa gente tao sofrida…tbem sou gora, mas me amooooooooooooo…beijos e felicidades.

    Responder
  25. Daniella

    adorei ler toda a história, pq é assim mesmo que aconteceu/acontece, comigo. A diferença é, nem o rosto me elogiavam, era sempre hiper criticada, e até já disseram que eu eu estava grávida, só pra provocar; minha mãe, na minha época maaaaaaaais cheinha(dos 8 aos 14), chegava a competir comigo, quando eu reclamava, de estar feia, de não pode cuidar do meu cabelo, pele e corpo, ela dizia: “problema é seu, a gorda aqui é vc, não eu.” eu me sentia hipeeer mal, até pq, quando saiamos, ouvia sempre meus colegas, parentes e até desconhecidos, falarem, “como pode uma mãe ser tão mais bonita que a filha? “…e resolvi mudar sozinha…mudei, sem muito esforoço, foi aos poucos, junto com a vaidade, e vi a diferença, ainda sou fora do peso, mas, bem melhor que antes, comecei a ser muito paquerada, ganahr muitos elogios e coisa e tal, só que notei mais, a falsidade das pessoas, e como a aparência vale mais que o resto de nós, infelizmente. Ainda quero emagrecer mais, mas pq EU quero, só por isso; voltando ao assunto, mesmo ficando mais bonita, e melhor agora, não sou mais feliz que antes, ainda sou complexisada, ainda me acho meio feia e gorda, apesar do meu bb(namo-noivo) dizer que sou linda, não me satisfaço. Bem, só quero dizer, que; não vale a pena mudar o corpo, quando não consegue mudar a mente, mudei quase tudo em mim, mas a felicidade interna, ainda demora pra chegar..sejam felizes com vcs mesmas, afinal, blz tá nos olhos de quem vê, tem gente que ainda me acha feia, tem gente, que agora me acha bonita, e tem gente que sempre me achou linda, pelo que sou..é mto relativo, Adorei sua história, seu filho é lindo, e com CERTEZA, é a pessoa que sempre vai te ver da mesma maneira, aliás, vc é linda. rs Desculpa pelo texto ;) caso, tenha(m) curiosidade, principio de março completei 17 anos :D
    Bjooooos

    Responder
  26. LIA MANUELLA

    Carla,vc é muito linda,gostaria muito que vc lesse o meu comentário sobre mim acima ,após o da Célia,eu sei tudo quie vc passou,hoje me encontro,pior que vc,pois sinto falta de muitas coisas como por exemplo,de um ombro amigo,um relacionamento sincero,mas sinto vergonha de mim mesmo,vc está de parabéns,beijos a todos

    Responder
  27. Celia M. Santos

    Carla, voce é muito linda. Ao contrário de você, sou muito magrinha por natureza e também tenho complexo com o meu corpo, veja só! Tenho 55 anos, minhas amigas falam que eu deveria me sentir feliz! mas não me sinto. Minhas pernas são muito sequinhas e meus braços…uma taquara, Taquarinha, assim era o meu apelido quando mais jovem, pesando entre 43 e 45 kilos, usando duas calças para parecer mais cheinha, pois ninguém queria me namorar. Escondia e escondo os meus braços, tao murchinhos são. Hoje, já me acostumei com o meu peso, mas pode acreditar, digo de coração, ser muito magra, uma taquara, é
    é horrivel! Blusa regata, nem pensar. Hoje, faço academia para criar músculos e melhorar a cabeça! Com certeza, venceremos! Um forte abrço.

    Responder
  28. LIA MANUELLA

    Eu sempre,desde menina tinha um corpo normal,quando moça fiquei com um corpo escultural,cintura bem fininha,quadril normal e bum bum grande e arrebitado e coxas grossas,mas tudo de acordo com minha altura que é 1,73,tive uma grande perda,meu pai adorado e eu estava gravida de 7 meses de minha filha,que quase perdi,só que eu não sabia,que tinha estourado a minha tireóide,mas mesmo após de ter a minha filha e meu segundo filho,eu com medo de engordar tomei todos os tipos de remédios que existem para emagrecer,minha vida era manter o lindo corpo que eu tinha,até particepei de varios concursos de beleza e sempre ganhei,mas com o tempo os medicamentos só me prejudicaram,pois tomei-os por muitos e muitos anos,com a perda de um irmão tão querido entrei em grande depressão,já tinha com a perda dee meu paim,e com outros problemas no meu relacionamento,sofri muito,hoje estou com depressão,a veia da orta obstruida,com uma grande má circulação,meus pés pretos e minhas pernas atras tbm,artrite e artrose,problemas no estomago,meu auto estima está lá embaixo,hoje eu estou pesando 124kgs,sou muito infeliz,não me sinto bem saindo na rua,pois as pessoas que me conhecem vem me perguntar,poorque eu engordei tanto,isso me arrasa,as vezes tem jovens que fazem riem de mim,eu me sinto muito humilhada,hoje estou só com meu filho morando,o pai dos meus filhos me abandonou e foi morar com a mãe,por ser irresponsável,sofro muito,evito de sair na rua,so saio para ir no medico,e vou por caminhos que tem poucas pessoas ,adoro me arrumar,adoro saltos,sou loira,todos dizem que sou muito linda,sou muito admirada,mas que adianda se não consigo emagrecer,e outra coisa,como tão pouco,pois não tenho quase vontade de comer,e me pergunto porque eu fiquei assim,a minha barriga parece de gravida,já pensei até em dar o fim em minha vida,não tenho vontade e motivação para viver,gosto de sair,visitar parentes e amigos,dançar,e agora não posso nada,eu não vivo,eu vegeto.Obrigado por eu poder desabafar o meu problema,queria tanta uma ajuda,pois a familia só comentam,e só falam coisas negativas e a algumas amigas tbm,eu não estou aguentando mais,tudo que vou fazer é com muito sacrificio.me ajudem pelo amor de DEUS,que DEUS abençõe a todos. bjs.

    Responder
  29. Thaís

    Oi Carla, sei como vc se sentia ainda me sinto assim. É dificil se aceitar gordinha, mesmo meu marido falando que sou linda meus amigos (verdadeiros) falando que sou bonito e que o mundo esta vendo as pessoas como elas são e não apenas como corpo, é dificl, seus posts tem me ajudado bastante.
    Em janeiro perdi meu bb, e todos me falavam que o perdi pq estava acima do pesso. Agora tenho que começar tudo denovo, e tentar me aceitar como sou.
    Quem sabe um dia eu chego lá como vc.

    Responder
  30. Herick

    Carla voçe sempre foi linda desde quando pequena, voçe so enchergo isso quando viu atravez dos olhos de mãe,
    pois mãe sabe o que é bom para o filho e para éla mesma, as vezes a mãe muda de atitude para o bem do proprio filho.
    Parabéns pela historia.

    Responder
  31. daniela

    putz carla muito legal mesmo sua historia tenho 23 anos e agora resolvi me encanar com essas coisas de peso to com 50 quilos mas ja quase enlouqueçendo rs…..preciso emagreçer mas trabalho muito e não tenho tempo pra fazer muitas atividades esportivas porém to tentando comer menos mas passa fome num dá tenho medo de não comer e ficar doente intão prefiro ser gorda do que ter minha saúde prejudicada por falta de comida rs……parabéns você com sua historia com certeza deve se encaixar na vida de muitas mulheres por ai ah fora……e adorei principalmente a questão de estar bem consigo mesma e não pras pessoas em torno de você se amar em primeiro lugar sempre…….e seu filho é simplesmente lindooooooo ai quanto trabalho vai dar com as menininhas no portão rs………..

    abs
    Dani

    Responder
  32. Marcella

    Olá Carla, conheci vc há algumas semanas, assim como a categoria plus size que enm imaginava que existia…
    Enfim, sou gordinha também e isso aconteceu depois do nascimento do meu único filho onde nos 2 primeiros anos eu consegui manter meu peso de 60kg que considero ideal (apesar de ser acima do “permitido pra minha altura que é 1,57), porém de uns de 3 anos pra cá estou insatosfeita e infeliz com meu corpo e lendo a sua história, me senti lendo a minha prória, principalmente quando vc fala das pessoas comentando do “rostinho lindo” que é aquele comentário que me deprime na hora!!!!! Caramba! Meu corpo deve ser mesmo horrível!
    Enfim, gostaria de conhecê-la mesmo que só virtualmente… vc tem msn, orkut?
    Aguardo e deixo registrado toda a minha admiração por vc ter conseguido se assumir e ser feliz mesmo gordinha!

    Responder
  33. gaby

    oi Carla, em partes da sua história me identifiquei…posso te dizer que quase cheguei a um estado e anorexia. E a lição que eu tirei de tudo isso foi “ate onde a minha insegurança me fez chegar”.
    O grande problema não está no corpo, está na cabeça.

    Responder
  34. Lilica

    Carla, me identifico muito com a sua história , já tomei muitos medicamentos para emagrecer, emagrecia e recebia elogios, depois relaxava e engordava tudo de novo.Também tenho um filho maravilhoso que diz que sou linda todos os dias e já decidi que não tomo mais remédios pra emagrecer porque os benefícios são muito poucos em vista do mal que me fazem. Parabéns pela forma como conta sua história, sem medo de ser Feliz.

    Responder
  35. LUCIANA

    AGORA ME SINTO NO MUNDO REAL…APESAR DE SER MAGRA, SINTO-ME AGORA UMA PESSOA NORMAL, PQ ATÉ ENTÃO SÓ CONSIGO LER MATÉRIAS SOBRE MULHERES EXTRATERRESTRES: AQUELAS QUE PASSAM O ANO SEM COMER UMA PITADA DE AÇUCAR PRA NÃO ENGORDAR; OU AQUELA OUTRA QUE COME DOIS SONHOS NO CAFÉ DA MANHÃ, E NÃO ENGORDA NEM UMA GRAMA; TEM AQUELA OUTRA COM QUASE 100 ANOS, MAS QUE NUNCA FEZ UMA APLICAÇÃO DE BOTOX, E A CARA É DE UMA MENINA DE 18 ANOS; PARABÉNS PLA MATÉRIA, ADOREI SUA VIDA…FELICIDADES SEMPRE……………….E VIVAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA NÓS, MULHERES DE CARNE E OSSO:):):)

    Responder
  36. Dani

    Ps: sempre odiei a frase, nossa Dani vc tem um rosto tão bonito….quando na verdade queriam dizer se não fosse esse corpo ridiculo até que vc seria bonita…..triste realidade de um mundo onde as pessoas são medidas pela aparencia…..Mais mesmo a sociedade sendo ruim, não podemos deixar a comida vencer, ninguem deve deixar de comer nada, mais comer em excesso não é necessario.

    Responder
  37. Nice

    Olá Carla!
    Fico feliz em ver pessoas que passam pelo mesmo problema que eu, mas que mesmo assim são felizes.
    Tenho 30 anos, e luto com a balança desde os 15.
    Fui mãe aos 21 anos e de lá pra cá se tornou cada vez mais difícil emagrecer. Já fiz várias dietas, tomei todos os medicamentos possíveis, mas , “o efeito sanfona não me abandona!”. E apesar de tudo isso sou feliz, e tenho ao meu lado pessoas que me ama muito. Principalmente o meu filho Víctor, que pra mim é o mais importante da vida!!!!!
    Bjs. e parabéns!

    Responder
  38. Dani

    Nossa sua historia é linda. Venho de uma familia que luta constantemente contra o excesso de peso. Passei por bariatrica e mesmo após um ano continuo acima do meu peso ideal. mais pior e ver minha irmã casulinha que sempre foi a magra da familia, engordar pelos mesmos motivos que um dia me tornou obesa morbida. Essa é uma luta diaria, hoje vejo a comida como um vicio, um vicio que tenho que controlar, não é facil, mais ele nunca será maior do que eu…

    Responder
  39. Makely

    Coincidência. Parece minha história. Vivo contra a balança. Uso manequim 48/50. Odeio comprar roupas. Super díficil de encontrar uma que fique legal, pois teho uma super bunda! Mas fazer o que? Dietas? Sempre fiz, inibidores de apetites até comprei, mas não tive coragem de tomar. Até ia fazer a cirurgia do estomâgo… meu sonho. Já imaginou em um ano vc ficar linda, todos te elogiarem… Mas aí eu fui me pesar e a balança do médico era enorme aí eu fiquei vendo as fotos dos pacientes “caso de sucesso” e fiquei penmsando… Nossa é um sonho ser magra assim, eu vou conseguir, mas não sou tão gorda e não tenho problemas de saúde para tomar uma atitude tão “vilenta”.
    Entrei na academia, procurei ajuda de nutricionista e comecei o meu regime. Emagreci em um ano 12 kilinhos. Parece pouco, mas é difícil. Ainda faço o regime. Estou em um ritmo lento. Com o emgrecimento tb comecei a me valorizar, fiz cursos de auto-maquiagem, comprei novas roupas, acessórios, sapatos. Agora ainda me encontro acima do peso ideal. Estou longe dos 70kg que é minha meta. Mas a cada dia eu me amo mais. me valorizo. Se nós não nos valorizarmos quem é que vai? As pesoas que acham nossos rostos lindos e desprezam nosso corpo? Pessoas assim até prejudicam a nossa auto-estima e espírito. Temos sim que nos aceitar e procurar mudar a sociedade que pensa que somente pessoas magrassão as mais belas.
    Bjs a todos (as), Makely!

    Responder
  40. Denise

    É difícil imaginar que alguém consiga ser tão feliz e bem resolvido, estando bem acima do peso ideal, e ideal quero dizer o esperado por nós mesmos e não pelos padrões midiáticos…
    Engordei muito depois que tive meu filho e não foi culpa da gravidez, pq um mês depois já estava com meu peso normal…. engordei pq comia sem culpa…. e o peso que ganhei não me faz bem até hoje! Há um ano eu perdi 12 quilos e me senti um pouco melhor e mais animada….
    Sinceramente, ainda não encontrei a felicidade com meu corpo cheio de celulite e com ondas a mais… rs
    Quem sabe um dia eu fique de bem com o espelho e aprenda me aceitar verdadeiramente.
    Parabéns Carla por ser tão bem resolvida…. admiro pessoas assim… um dia eu chego lá!

    Responder
  41. Larissa

    Muito bonito seu depoimento!
    Eu nunca foi obesa, mas passei por problemas parecidos (inibidores de apetite, dietas malucas, ficar sem comer, laxantes, bulimia…) e nunca adiantaram! Na verdade só pioraram minha condição.
    Emagrecia 3 kg em uma semana e em 2 dias engordava 4. Tinha muitas dores de estômago, variações de humor, depressão…
    Quando estava com 16/17 anos, engordei 10 kg em um ano e procurei ajuda, pois já estava com alguns problemas de saúde.
    Fiz 8 meses de terapia com uma psicóloga. Superei a bulimia e o desespero por dietas.
    Hoje, sei o que faz bem pro meu corpo: comer de 3 em 3 horas, evitar comidas muito gordurosas ou doces (amo doce e nunca deixei de comer, a diferença é que não exagero). Meu metabolismo está ótimo e meu corpo está bem.
    Não estou sem “curvas”, estou bem com meu corpo… Ainda tenho sequelas do meu comportamento do passado (desenvolvi cistos nos ovários- consequencia da má alimentação-, problema em um rim, dentre outros).
    Gostaria que meninas que passam pelo que nós passamos visse nossos depoimentos de superação e percebessem que o melhor é comer bem, ser SAUDÁVEL!
    Parabéns!
    bjs

    Responder
  42. Carina

    Carla, você é realmente linda, no meu ponto de vista, e acho que a questão do peso é irrelevante para pessoas tão bonitas quanto vc! Claro que é fácil falar quando não se passou por isso, principalmente na adolescência, mas, sinceramente, nada mais atraente – novamente no meu ponto de vista – que olhos verdes, pele clarinha e perfeita, e cabelos louros e longos…e vc tem tudo isso! No mais, pelo que vi das fotos, vc tem porte e altura, tudo fica bacana em pessoas como você. Fico feliz que vc tenha, finalmente, se aceito e , vamos combinar, o Lucas é maravilhoso e qualquer coisa vale a pena quando vemos o presente que é ter um filho saudável e inteligente. Sucesso a vocês dois!

    Responder
  43. Eli

    Carla, o que eu preciso fazer para ser uma modelo Plus Size? Já fui modelo antes, porém, esse ganho de peso me fez desisitir de muitas coisas em minha vida, inclusive de saber o significado de auto estima.
    Sou bonita, tenho um rosto bonito, olhos verdes, cabelos louros, mas deixo de me olhar no espelho por diversas vezes.
    Contradição, não? Concordo. Eu era manequim 40 e agora sou 46…. e isso não me deixa nada feliz….
    Me ajude nesse processo de procurar me envolver com essa área de modelar, talvez transformada, mudada, “ajeitada”… eu me sinta melhor…. e assim poderia mostrar às pessoas que nós, Plus Size, também podemos nos vestir bem.
    Fico no aguardo.
    Bjks!!

    Responder
  44. Eliane

    Ler a tua Historia e com reviver a minha!
    Parabéns, por se encontrar.. se ver de verdade …e amar o que encontrou…sorrir para vc..se amar..e principalmente reconhecer como vc è LINDA!
    Não podemos perder tempo.
    hoje sabemos o que é ser feliz.
    Obrigada.BJos

    Responder
  45. angel

    olha estou nos meus 16 anos e estou gorda,me sinto despresada,sabe todos olham so pras minhas amigas magras,estou tenatndo emagrecer pra recuperara meu auto estima ,me sentir melhor .me identifiquei muito com sua historia.
    beijos amei a historia

    Responder
  46. Eliane

    Oi Carla!
    Estou acompanhando seu blog, e também sou “fora do padrão”, porém não com relação a peso, e sim com altura. Tenho 1,58, sou muito baixinha e também sofri muito preconceito, de pessoas detonando meu corpo também, inclusive familiares, me comparando às primas altas. Você deve imaginar minha auto-estima né? Até pouco tempo atrás só usava salto, até meu chinelo tinha salto. Porém, meu namorado me deu forças para pelo menos desencanar da vergonha que eu sentia em ser baixinha. Hoje uso sandálias e tênis rasteiros, porém a sensação é de liberdade. Nâo consigo me sentir bonita, mas pelo menos não tenho mais machucados nos pés, dores na perna e coluna (sim, eu usava saltos e eles machucavam meus pés). Estou, aos poucos começando a me enfeitar. Usar maquiagem de vez em quando, brincos maiores… nunca usei essas coisas, acredita? Talvez eu esteja trilhando o caminho até a conscientização que você teve de si própria, o que é muito admirável.
    Parabéns por escrever sobre um tema na contramão do que é valorizado pelas pessoas.
    Um abraço!

    Responder
  47. Janice

    Oi Carla,
    Gostei muito da sua matéria, Comparo vc como eu, já passei por várias dietas, vários medicamentos como vc. Já emagrece e engordeu várias vezes, efeito sanfona. Hoje com 85Kg já tirei do meus planos a palavra dieta quanto mais eu falo em emagrecer mais eu engordo.Tenho uma anciedade enorme, mas eu sou muito vaidosa, nunca deixei de vestir bem, dou sempre um jeito de usar roupas mais souta que não acompanha as banhas. Tento fazer exercicio físico e comer saladas, mas no final de semana não deixo de beber minha cervejinha….. por isso não consigo emagrecer, mas estou feliz assim.
    abraços.
    Janice

    Responder
  48. Kassia Klara

    Olá!!!

    Carla sua história de vida é linda, também passo por esse processo de emagrecer e engorda, mais não podemos deixar a depressão nos alcansar, ser magra é ótimo mais ter saude e ser feliz é fundamentel!!

    Responder
  49. gra

    Olá adorei essa matéria, pois também tenho esse problema peso 56 kilos com 1.58 faltam 10 kilos pra ter o peso ideal. Mas depois do seu depoimento vou viver a vida assim sem sacrificios!! bjs vc é lindo e oseu filhote também

    Responder
  50. Márcia

    Foi maravilhoso ler esta história, eu realmente precisava ouvir, me deu um chacoalhão. Esta história infelizmente se repete com várias mulheres. Devemos pensar e acreditar que somos importantes, somos mulheres filhas de um Pai maravilhoso que nos ama, devemos sim nos cuidar mas sem se preocupar com esta sociedade iniqua que quer nos ver magricelas.

    Responder
  51. leide

    Oiee sua historia parece com minha..Meus Deus!
    Eu até hj nã me aceito como gordinha, tento, tendo, mas não consigo.
    Parabéns pelo filho lindo…

    Responder
  52. Ariane

    Linda sim!
    Todos sempre exigiram isso de mim, mas eu me sinto a vontade com meu manequim 42.
    Hoje procuro mais por minha saúde e nada de dietas forçadas, quero me preparar pra ser mamãe.. Ter saúde e me amar sempre mais!
    Parabéns pela família!

    Responder
  53. Adriana

    Carla, amei sua história e dei muita risada aqui lembrando de algumas passagens da minha adolecencia.
    Tenho 37 anos, 1,52alt e 75kg, e sei bem o que é ouvir VC TEM UM ROSTO LINDO, ou, se vc perdesse 10kg… hoje sou bem resolvida, procuro não ganhar peso claro, mais muito mais pela saúde, pois sou asmatica, do que pela estética. Adoro minha cinturinha fina e quadril largos e de verdade se tivesse q mexer no meu corpo só mexeria nos seios, vou a praia de biquini, porque maio não esconde as minhas pernas curtas e fofinhas.. E amo quando meu filho de 8 anos abraça minhas pernas e fala PERNINHAS FOFAS…
    E meu namorado adora meu corpo e EU ME AMO….
    beijos e parabéns pela matéria.

    Responder
  54. Nety

    Achei linda a sua história,eu sou gordinha era muito magra na infancia e na asdolecencia me chamavam de manequim de cemiterio servia de piada pra todos comecei a tomar remedios pra engorda escondido da minha mãe depois do meu primeiro filho cheguei aos 120 quilos hj estou com 96 quilos mesmo assim sou criticada por muitos ñ tenho nenhum problem de saude graças A Deus hj já ñ ligo muito em emagrece porque era magra me criticavam se eu engordei as pessoas criticam do mesmo jeito hj eu sou feliz assim mesmo.bjsssssss!!!!!!!!

    Responder
  55. Dani Castro

    eu também passei por isto!!! graças á Deus a minha esória também teve um final feliz!! Hoje tenho duas filhas lindas um super maridão que me ama e cuida de mim o tempo inteiro!!! Hoje tenho 1,62 e peso 70 kg. beijos!!!

    Responder
  56. palima

    adorei a tua histó ria e me vi em varios momentos
    já fui magrinha, mais apos a gravidez aumentei 40quilos e não consigo perder. ainda naum me aceito

    Responder
  57. Paula Mota

    Carla, me vejo na sua historia….achei linda, hj estou com 29 anos e passei minha vida inteira escutando: como vc tem o rosto lindo…..mas não consigo me olhar no espelho e me sentir bonita….meu marido me adora, me chama de linda, mas no fundo sou uma infeliz e adoro comer…rsrs, continuarei seguindo seus posts…bjs no coração.

    Responder
  58. Lissa

    Nossa… me identifiquei muito com sua história, a todo momento as pessoas me cobram q estou muito gorda mas que meu rosto é redondinho e tenho sorriso bonito. Queria muito emagrecer, mas tá muito dificil. Não acho nada bonito em mim nem olhos nem cabelos nada, e ainda as pessoas conseguem me deixar mais para baixo em casa no serviço, agora estou começando a ficar com vergonha de sair de casa. Comecei a fazer academia tomara que eu consiga emagrecer 1 pouco. sou muito cobrada pq sou a única gorda entre 5 irmãos minhas irmãs tem corpos lindos. Abraços

    Responder
  59. Gigi

    …vc é linda até gorda, tem a pele bonita e clarinha…pior quando a pessoa é nariguda, pele aspera e rosto feio quando engorda…c vc se acha gorda pode ter certeza q é uma gorda sortuda rs…é só emagrecer e isso uma hora acaba acontecendo…agora pele ruim,cabelo estragado, feiura…não tem conserto…!! bjos

    Responder
  60. sandra maria sousa

    fiquei mt feliz em saber da sua historia de vida, me emocionou mt mesmo. Parabens pela tao bela vitoria alcançada que é sobre o seu EU. Seja feliz! BJS

    Responder
  61. Andrea

    Adoraria pensar assim estou enorme, tem dias que eu não acendo a luz do banheiro para não ver minha silueta (bom eu não tenho mais silueta), no reflexo do vidro do box, as vezes que um carro me atropele, que sabe uns dias no hospital eu emagreço, depois, penso nos meu filhos e peço perdão a Deus, vou esta semana, ao médico tomar remédios para começar outro regime, se não der certo vou tentar o balão e se não der certo… Nâo quero pensar nisto, tenho medo de mim mesma. Não consigo me amar assim, não quero ser assim… Mas não consigo, infelizmente eu não tenho amor próprio e não quero ser assim.

    Responder
  62. Ana Carolina

    Oi Carla,

    Sua história realmente é muito inda e nos faz refletir sobre várias coisas, tenho 31 anos e dois filhos um de 15 e outro de 5 anos e meio , são munhas razões de viver. Passei por momentos difíceis e sempre fui mais cheinha, a vida toda , fiz dieta ano passado (passei fome ) mas emagreci, porém , voltei tudo novamente e até um pouco mais. Não estou me sentindo bem com meu corpo , mas não vou tomar medicamentos e sim me esforçar para diminuir as bobagens que como e melhorar minha alimentação , ja estou até fazendo uns exercícios em casa…… Mas é isso aí , o importante é ser feliz e termos nossa auto-estima lá em cima, e a minha está quase se recuperando.

    U grande beijo a todos e um especial para vc Carla e seu filho lindo!!!

    Carol

    Responder
  63. EDILEUZA

    Oi Carla amei sua història,parabèns por ser tao forte e o melhor vc venceu.E essa eu perco muito mas tbm vou vencer obrigado por mostra p/ o mundo q tem pessoas tao forte como vc.bjo

    Responder
  64. Joce

    Hje acordei com aqueles dias de neura , comecei a me sentir mais gordinha , nao sou magra nem obesa tenho tudo bem preenchido, me considero uma mulher bonita sou bem vaidosa e chamo atenção dos homens , mas qdo me descuido já começa a salientar as gorduras ai vivo naquela constante comer normal 30 dias depois volto q tentar me cuidar, minha mãe é gordinha e é amada pelo pai e se sente bem , mas eu nao gostaria de ser uma eterna gordinha tanto que qdo me sinto gorda entro em depressão e isso me prejudica ….

    Responder
  65. Vanessa Alessandra

    Olá Carla. Adorei a sua história. Hoje tenho 34 anos e dois filhos. Depois das duas gestações meu corpo passou por grandes mudanças. Com isso já me submeti a três cirurgias estéticas (lipoaspiração, abdominoplastia e prótese de silicone). Visto manequim 36/38 e ainda não me sinto feliz com o meu corpo. Com a sua história, pude muito rápido perceber que minha “cabeça/mente” não aceita o meu corpo. Gostaria que relatasse quando possível algum tipo de ajuda que pessoas como eu, pudessem procurar. Obrigada e um grande beijo. Com carinho Vanessa

    Responder
  66. Patrícia

    Nossa. sua história é fantástica. o importante é vc ser feliz como vc é, seje gorda ou magra. Eu era magra. mas quando entrei na adolescencia meu corpo mudou. eu sou baixinha e peso 50kg. sou feliz, apesar dos outros dizerem que estou gordinha.

    Responder
  67. Dayane

    Que exemplo de vida heim minha amiga,
    como é bom ler histórias no qual a gente se identifica,
    o que importa disso tudo é que vc se sente bem, ergueu a cabeça e viu o que realmente te faz feliz!!bjssss

    Responder
  68. cremilda

    OI CARLA QUERIA SER FELIZ COM IHA GORDURA MAS INFELISMENTE Ñ SOU TENHO 39 ANOS E ESTOU PESANDO HOJE 81 E MEU MARIDO SO ANDA MIM JOGANDO PRA BAIXO DIZENDO Q ESTOU OBESA ISTO DOI E MUITO EMAGREÇO MAS VOLTO PRAO MESMO LUGAR TEM HORA Q MIM DAR UM DISGOSTO DE VIDA PORCAUSA DISSO .
    VC É LINDA !

    Responder
  69. REGIANE -SP

    Oi Carla, “conheci” você hoje e gostei muito da sua história que por acaso é bem parecida com a minha…
    aos 15 anos pesava 103kg 1,62m sofri muito por isso, fiz um tratamento com o apoio de minha mãe e emagreci 36kg dos 16 aos 18 fiquei com 67kg, foi ótimo, engordei 4kg passando para 71kg e consegui manter por +/- 10 anos depois engordei gradualmente e no vai e vem sempre fazendo dietas e tomando fórmulas para emagrecer ou pelo menos não engordar mais, me casei aos 33 anos com 78kg e logo tive minha 1º filha, Isabela, engordei só 20kg na gravidez e logo que ela nasceu consegui emagrecer 10kg, mas engravidei novamente quando ela estava com 10meses e ai engordei 18kg ou seja cheguei aos 106kg, consegui emagrecer 17kg logo que a Graziela nasceu, mas aos poucos fui engordando novamente, hoje estou com 100kg e lutando para emagrecer, espero um dia vencer este vai e vem com pelo menos 25kg a menos. as vezes me sinto muito triste e quero fazer qualquer loucura(cirurgias e fórmulas), mas sei que não posso desistir e que não vale a pena arriscar qualquer tratamento afinal hoje tenho mais duas razões para viver a vida e ser muito feliz independente de qualquer coisa!
    Você é muito bonita! Parabéns por tudo.

    um abraço
    com carinho, Regiane 30/03/2010

    Responder
  70. Crew Godoy

    OI CARLA TUDO BEM? EU SOU FOFINHA MAS MEU MARIDO SO ANDA MIM CHAMANDO DE GORDA PESAVA 88 Kg AGORA ESTOU COM 81 CHEGO NOS 66 MAS VOLTO DINOVO PARA OS 88 ,VC É FELIZ DE TER CONDIÇÕES DE IR AO ESPAR , NENHUMA ROUPA FIKA BOA EM MIM OLHO PARA O ESPELHO E SO VEJO UMA GORDA COMO DIZ O MEU MARIDO.PORFAVOR MIM DAR UMA PALAVRA Q POSSA MIM CONFORTAR EM TERMO DISSO .VC JA PASSOU POR ISSO SABE O OQUE É SER OBESA
    ABRAÇOS DE SUA INTERNAUTA

    Responder
  71. Flávia

    Parabéns Você e seo FILHO são muito LINDOS!

    Beijos…

    PS:Com Certeza me Indentifiqueiii MUITO com essa Sua HISTORIA!!!

    Parabéns Pelaaa esssa sua SUPERAÇÃO DE VIDA!

    Responder
  72. Ana Paula

    Eu acredito na versao de querer e poder ,agora quando falamos em emagrecer se torna realmente muito dificil eu aumentei 20 kilos depois de minhas gravidez e confesso q estou com minha auto estima muito baixa nao é facil estou malhando a 15 dia cortei muito massas e refrigerantes doces tudo dentro do possivel so perdir ate agora 2 kilos por favor se poder me responder algo pra ajudar em minha dieta eu agradesço sua historia realmente merece aplausos, vc venceu se possivel me ajude.

    Parabenssss felicidadessss..

    Responder
  73. evelyn sá

    Carla querida

    Tenho 58 anos e já passei por toda essa sua historia.

    E: nunca deixei de ser desejada; pratico musculaçao,pilates, capoeira para 3ª idade, dança de salão, adoro comida “”saudavel””” da mesma forma que massas e doces. O que fazer? rs.rs.rs

    O que fazer com a genética,não é?

    E vivo super bem e em paz: comigo, com meu adorado filho, com meus amigos,com meus animais de estimaçao, com todos que me rodeiam,com minhas plantinhas, com o mundo!

    Bravo! Belo artigo. E seu principe é linnnnndo!

    Responder
  74. Gla´!

    Oi Carla, Lendo sua história revivi a minha… È muito parecida!!! Com 9 anos pesava 79kg, e qtas vezes ouvi a mesma frase: “Que rosto lindo você tem!” Isso é horrivel pra auto estima!! Acaba com o restante de você!!! Sempre tive problemas com obesidade des de muito pequena ja fazia tratamentos. Preconceito na escola, com amigos e ate familiares, era comum… Ir a lojas pra comprar roupa, era um tormento!!! Qtas vezes chorei ao sair das lojas por não achar nada que me servisse… usar vestido, saia, shorts?? Só voltei a usar com 21 anos…. depois de ter emagrecido 15 kg e estar namorando a 3 anos. Ainda não engravidei… mais esse é meu maior medo!! Tenho medo de engordar muito na gravides e não conseguir voltar! Existe muito preconceito em relação a obesidade, tudo gira em torno da “magresa”, mais eu sei, que o maior dos preconceitos esta em mim mesma!!! Bjos….

    Responder
  75. Dr. House

    Vc é linda. Até aí nenhuma novidade.
    Porém, problemas hormonais e psicológicos atingem muitas adolescentes, seja para a anorexia, seja para o excesso de peso (fruto de ingerir “porcarias” modernas).
    O ideal para qualquer um, homem ou mulher, é manter o peso estável até pelo menos os18/19 anos, daí pra frente fica mais fácil.
    Falar mal do seu bração branco é um erro comum de algumas garotas que acham que tem que ser morenas (sol d+ estraga a pele), tudo questão de maturidade emocional, para a qual muitas coisas hoje atrapalham, principalmente a mídia, as modinhas, e “amigas” nada amigas.
    O inverso extremo disso seria o “nada normal” Michael J.

    Responder
  76. Sara Cristina

    Carla parabens pela sua vitoria eu tbm estou com problema de peso mas estarei acompanhando seus relatos, acho legal vc ajudar as pessoas, na realidade so entendo alguem com peso acima quem realmente passou o passa pelo problema.

    Responder
  77. Alba

    Carla, sua história é incrível…
    Vc e seu filho são lindos, sua força é admirável.
    Parabéns!!!
    Deus abençoe vc e toda sua família.

    Responder
  78. Inacio Franco da Paz

    Se a balança é a CULPADA… quebre a balança! Se esta foto com “brinco nasal” é atual, você está ótima. by the way… na mesma foto, a sua irmã de olhos verdes… UaU!

    Responder
  79. Mi

    Nossa,deu vontade de chorar lendo essa história de vida….pq me identifico muito com isso, tbm sou godinha e isso me atarpalha muito, hj tenho 30 anos e solteira. Infelizmente as pessoas escolhem aparencia física e não a essência da pessoa.Tomo inibidor de apetite e uma fórmula, mas minha cabeça não muda, esta ainda pensa em descontar as mágoa e angustias em lanches,chocolates….etc…..

    Responder
  80. Marisa

    Sou gordinhae independente do que as pessoas pensam ou acham…”eu me amo sempre”!!!!
    Meu futuro marido é gordo,todos falam por que formamos um casal obeso,mas o que importa éque nos amamos de verdade.
    Para os gordinhos de plantão:…..”ESQUEÇAM QUE AS PESSOAS CRITICAM,O AMOR PRÓPRIO É MUITO MAIS QUE IMPORTANTE!!!

    Responder
  81. Fernanda

    Achei sua história motivadora, Carla, não só para quem encontra-se acima do peso, mas para todas as pessoas que sofrem as mudanças naturais do corpo, seja em função da idade, da tendência genética, da gravidez, etc. Enfim, ver o ser humano além de seu corpo e aprender o que é beleza é um importante processo de amadurecimento. Uma coisa não podemos negar: a opinião dos outros, na maioria das vezes ditada pela mídia, exerce muita influência sobre o ser humano. Precisamos renovar a nossa mente, mas é um processo de dentro para fora de nós, como você bem apresentou.
    Que os seres humanos, principalmente as mulheres – tão bombardeadas com as pressões do mundo – não desistam de evoluirem como pessoa e em aceitação de si mesmas e dos outros. Abraços.

    Responder
  82. Rita

    Não sabia a sua historia. Esta sendo muito bom te conhecer melhor. A sua mudança é nitida. Que bom que voce está feliz. Desejo muito sucesso a voce . Felicidades para voce e para o lucas (que eu amo tanto).

    Responder
  83. Marisa

    Sou gordinhae independente do que as pessoas pensam ou acham…”eu me amo sempre”!!!!
    Meu futuro marido é gordo,todos falam por que formamos um casal obeso,mas o que importa é

    Responder
  84. luh a poderosa

    adorei sua historia , é isso ai , quem disse q toda gorda tem q ser feia , hj é possivel ser linda , precisa se aceitar prrimeiramente e foi o que vc fez , parabénsssss bjoss

    Responder
  85. gil

    Adorei e me identifiquei com sua historia. Quando emagreco tambem não consigo me sentir feliz, parece que não sou eu, sinto um vazio enorme.Quando estou gorda com 75k me sinto feia enorme, nenhuma roupa fica bem. Não consigo achar na minha cidade lojas para tam g ou gg o que dificulta ainda mais a minha vida.
    É isso mesmo temos que nos assumir como gordas, tentar ser felizes enquanto podemos.

    Responder
  86. Elizabete

    Uma vez um amigo meu me convidou pra sair, me levou em casa e me deu um beijo que nunca esqueci, durou uma semana, ele terminou comigo, fiquei triste e não entendi porque não quis mais. Se me procurasse mesmo hoje eu voltaria pois ele é o gordinho que me deixou apaixonada!!! Sou magra, deve ter sido isso. Dizem que há preconceitos quanto aos gordos mas será que não são eles que em muitos casos se anulam. Mas tudo bem eu continuo paquerando ele de longe rs Parabéns pela matéria adorei!!

    Responder
  87. Graciela Lopes Coelho

    Nossa, amei seu blog!!! Também sou uma gordinha, pois tenho 1,75m e 110kg. E minha irmã também é!!! Numa sociedade em que só a magreza é aceita, gostar-se é um desafio!!! Parabéns pela coragem de contar sua história e pela força que você dá à maioria das mulheres brasileiras, que se encaixam no pefil Plus Size!!! Beijos!!!

    Responder
  88. Rosana

    Parabéns Carla!
    Vc conseguiu expressar com alegria e bom humor problemas que te afligiram durante sua infância e adolescência.
    Sua estoria é igual a de milhares de meninas que sofreram com a instabilidade do relacionamento dos pais. Absorvendo culpas e responsabilidades que não eram suas. Tentando controlar as emoções do grupo familiar, tarefa que é impossível.
    Qualidades sei que vc tem muitas, e para alcançar a verdadeira felicidade e o contentamento, é melhor vc focar nos seus atributos positivos, dessa maneira, os atributos negativos perdem a força e acabam desaparecendo ou não incomodando.
    Quanto ao padrão estético da linha esbelta, acredito que esse padrão se fortaleceu com os conceitos da medicina, que vem comprovando que as pessoas mais magras estatisticamente têm menos problemas de saúde e tem uma sobrevida maior.
    Mas isso também não é crucial, pois a vida é composta de infinitos acontecimentos, que estão fora do nosso raio de controle, que podem modificar a cada instante todo o curso de nossa vida. Por isso, o melhor que vc tem a fazer é agradecer pela possibilidade de viver mais um dia, e fazer dele, um dia especial.
    Tenha um ótimo dia!
    Rosana

    Responder
  89. Marcela Morelli

    Oi Carla tenho o mesmo problema seu,já fiz vários tratamentos emagreço e quando relacho um pouco engordo tudo novamente,mais dessa vez tomei uma decisão não vou mais usar mais negúm medicamento,vou fazer exercícios todos os dias aí tenho certeza que vou vencer essa barreira como você venceu,Parabens pela sua garra e força de vontade.

    Responder
  90. Ana

    Eu não gorda e nem magra..tenho aonde pegar, digamos, mas já tive muitas neuras com a balança. Não me importo hoje de não entrar em uma calça n° 40 por exemplo. Acredito que a mulher já conquistou tanta coisa e justo agora, século XXI a mulher se preocupar com roupa? corpo? coisas fúteis? A mulher hoje tem um grau de inteligência e independência ímpares – não que não houvesse na ápoca de nossas mães e avós, mas antigamente éramos totalmente suprimidas pela sociedade machista. Hoje a mulher tem outros tipos de beleza, tais como a maturidade, inteligência e isso supera qualquer manequim 36 ou 38. Como dizia Epicuro -procure primeiro as boas coisas da mente e o resto não será sentido ou então a falta do resto não será sentida.

    Responder
  91. ysa

    Realmente a sua história é comovente!
    Eu tô passando por um lance parecido, mas no meu caso ta sendo mais difícil porque não tenho 1, mas 2 filhos…uma de 3 e outro de 3 meses e estou me sentindo a mulher mais horrível do mundo…Tô tentando, mas ta difícil…sua história me deu um impulso bom obg por ter postado e vc é linda viu….parabéns pela família linda tmb
    bj

    Responder
  92. Gianne

    Uma história verdadeira, de uma mulher de verdade. Não a velha história de que como de tudo e não engordo( fazendo horrores para isso0. Claro, que existem magras de verdade, mas não ´´e nenhum crime não ter este tipo.
    Viva as mulheres de verdade!!! viva os diferentes tipos, os diferentes cabelos!!!!
    Abaixo a hipocrisia!!!

    Responder
  93. MOURA

    Carlinha, você está cada vez mais linda, parabéns pelo seu relato de vida e pelo seu lindo Lucas.
    Dê um abraço no seu pai, companheiro desde os tempos do Conselheiro e depois na EPCAR.

    Forte abraço.

    Responder
  94. Aline

    Oi Carla,
    tbm me sinto assim tenho 20 anos e peso 80kg,me sinto mal pois minhas amigas são todas magras e quando eu saio com elas sempre se arrumam bem e eu sempre com roupas largas isso me deixa mal,mais despois de lê sua coluna me deu mais animo pois tbm tomo sibutramina igual como vc tomou,espero imagrecer pois ñ aguento mais bjss.

    Responder
  95. João Paulo

    Olá Carla, conheçi sua coluna semana passada e desde então eu leio. Gostei da história, já pensou em fazer um livro? Acho interessante biografias. Continue com seu ótimo trabalho, Parabéns pela linda família, muito bom saber que há um apoio incodicional da família, seu filho também é lindo.

    Responder
  96. Flavia

    Carla, me vi em varios trechos da sua historia. Porem infelizmente ainda não aceito estar com 73 kg(1,65).
    Mas tento….emagrecer das formas que vc ja tentou. Hj em dia rocuro andar…mas sou ansiosa e viajo muito,então caio nas tentações.
    Mas adorei sua historia.
    Beijos

    Responder
  97. Dayane

    Oi Carla..

    Adorei sua historia…. Tenho na minha familia uma forte tendencia a engordar… Eu consigo manter meu peso, mas sofro muito em ver minha irmã e minhas sobrinhas passando pelos mesmos sentimentos relatados por você…
    Minha maior preocupaçao é que depois de uma separaçao traumática da minha irmã com o ex marido, tanto ela quanto as filhas se entregaram a uma depressão profunda, e descontam tudo na comida… E nunca se interessaram em buscar um tratamento.
    Minha irmã hoje tem muitos problemas de saude devido a obesidade, minhas sobrinhas estão caminhando para o mesmo….. Gostaria muito que elas se reencontrassem e superassem, não pelo peso em si, mas por questões de saude mesmo…
    São todas lindas… Mas no caso da minha irmã e da minha sobrinha mais velha(hj com 18 anos), elas não têm nem um pingo de vaidade ou amor proprio… Não têm o prazer de escolher uma roupa pra vestir (vestem a primeira que encontram pela frente), não se arrumam pra sair, e na maioria das vezes nem saem de casa.. Vivem isoladas do mundo…

    Isso ja faz 10 anos…. Gostaria muito que se possivel, caso você pudesse ajudar, no decorrer das materias que for postando, pudesse postar dicas de como ajudar os familiares a superarem a obesidade… Nós da familia não sabemos como agir, como incentivar ou como auxiliar…
    Acabamos muitas vezes magoando e prejudicando os entes queridos na tentativa de ajudar….

    Obrigada por dividir sua historia.

    Abç

    Day

    Responder
  98. Priscila

    Carla, também vi sua história por acaso e achei linda, especialmente porque agora também sou mãe e dar valor ao corpo, além de fornecedor de alimento, é vê-lo como gerador, e isso não tem preco, muito menos peso!!!!

    Responder
  99. Edith

    Resolvi me meter na conversa para alertar a todas que independente de se aceitar ou não, ser e se sentir bonita ou não, é preciso cuidar da saúde em primeiro lugar: movimentar-se, mesmo que não frequentem academias, comer alimentos que fazem bem ao corpo e à mente, amar a maternidade, cuidar dos filhos, de plantas ou animais de estimação, refletir sobre o mundo, ter compaixão pelas pessoas, enfim, lutar pela vida e para transformarem-se em seres humanos melhores. O resto é consequência! Grande abraço para todos e em especial para Carla, que já é “mansa”!

    Responder
  100. Taisa

    Sempre me senti pessima por ter uns quilinhos a mais… meu pai sempre me disse “menina gordinha nao arruma namorado” “voce esta uma baleia se eu fosse vc nao saia de casa” e sempre passei horas na academia nao para o meu bem estar mas simplesmente para agrada-lo. Varias vezes tomei remedio para emagrecer, passei anos da minha vida vestindo so roupa preta, chorava no travesseiro com as criticas pesadas que meu pai fazia e sempre me isolava dos outros por achar que nao iam gostar de como eu era. A verdade é que o tempo passa e comecamos a perceber que nao importa quantos kilos a mais vc tem é como vc vive com eles que faz toda a diferença!

    Responder
  101. Rosana

    Olá, parabéns… passo pelo mesmo procedimento q. passou.. e fico feliz q. conseguiu superar isso… espero um dia conseguir chegar ao topo como você..
    Grande beijo..

    Responder
  102. Paula Santos

    Guria tu é linda, acima do peso ou não esta LINDA… eu não sou a modelo perfeita, com 19 kilos a mais, porem nada me impede de fazer as coisas q eu gosto. Muito lindo isso de achar no seu baby a alegria da vida PARABÉNS.

    Responder
  103. amanda

    oi!… Carla, adorei sua história!…nunca fui gorda, mas há cometários em sua história que me lembrou a minha adolescência! eu era muito magra e pessoal viviam me chamando de seca do nordeste e bacalhau de bera de porta de bar, isso me irritava, porque a maioria das minhas colegas eram tudo gostosonas, elas tinha bunda e coxas!…sentindo a necessidade de mudar passei a tomar vitaminas por conta própria para engordar(postafen com buclina), não adiantou contunuei magra!…passei a usar roupas mais folgadas para disfarçar a magreza!…hoje!…eu não sou magra e nem gorda, estou na medida, mas jamais consegui deixar de usar roupas folgadas, o que faz aparentar para os padrões de hoje como um pouco acima do peso, mas quando consigo usar uma roupa mais justa e de cor escura, aparento ser magra, ou seja, virei a falsa gorda!

    Responder
  104. Ana Paula

    Olá achei muito legal sua matéria, não precisa ser magra pra ser bonito a beleza estar no olhar no andar no falar, a mulher tem que ser charmosa não precisa ser magra, eu procuro manter um peso no qual sei q vou consequir ficar mais sem deixar o prazer de comer. vc e linda, mulher tem q ter umas carninhas. bjs xau

    Responder
  105. luci

    nossa a sua historia e muito parecida com a minha,fico feliz q vc consegui superar tudo isso,infelizmente eu ainda tento lutar ate hoje contra a balança pois nao aceito ser uma pessoa gordinha,nao tenho filhos minha maior preocupaçao e quando isso acontecer eu penso no depois com vai ser.parabens vc e linda e uma pessoa incrivel,gostaria de trocar ideias sempre com vc.bjs e tudo de bom

    Responder
  106. Vívian Borba

    Ao ler sua história passou um filme na minha cabeça… Aos 15 anos pesava 76 kg, vestia calças tam. 46, sempre me senti descriminada, tinha vários apelidos. Fiz uma dieta louca e cheguei aos 49 kg, foi o auge na minha adolescência, me sentia muito feliz. Porém amo comer! Variava entre os 57 kg e os 66 kg, à três anos fiz lipoaspiração e uma mini-abdominoplastia, pois detestava minha barriga (meu umbigo era triste) hehe… Fiquei perfeita e muito feliz! Mas ainda luto contra a balança e não consigo me sentir satisfeita sempre com o meu corpo.
    Lendo tudo que escreves-te percebi que estou deixando de lado as coisas que realmente tem importância na minha vida e perdendo aos poucos a minha essência.

    Obrigado!
    Bjos

    Responder
  107. Safira

    Fiquei emocionada demais com sua história por que eu passei por tudo isso, não tive filhos, mas pelo fato de ter tido uma fase muito conturbada por altos e baixos por conta de ter sido gorda quase obesa na adolescencia… Vivia em depressão não queria saber de nada, achando que ficando sem comer iria adiantar alguma coisa, minhas irmãs com um corpinho de cintura de pilão de dar inveja rsrsrsrs sempre lindas, mas eu me sentia mal em ver que eu não era daquele jeito… Precisei fazer tratamento médico de uma grave alergia que tenho até hoje os médicos falaram para minha mãe que tinha que mudar a alimentação para ver se a alergia era de algum alimento desde então mudei fiquei outra pessoa por conta do tratamento médico em 2 meses emagreci cerca de 15 kilos para quem não era tão alta e pesava quase 70 kilos na adolescencia era absurdo, mas fiquei muito bem daí passei a ser um pouco vaidosa ver as pessoas falando elogios, e coisa tal… Com tempo comecei a trabalhar e fiquei doente emagreci mais ainda ficando com outro aspecto de doente mesmo pesando 48 kilos, sai do trabalho para fazer tratamento continuei com os 48 kilos e tentando de alguma maneira ficar bonita para as pessoas e nem pensava o que eu achava de mim mesma… hoje tenho 24 anos me acho a mulher mais linda e vejo o que não ganhei no passado passando por tudo aquilo de querer emagracer para os olhos dos outros, vejo hoje que a minha felicidade vale mais que tudo, e ainda luto para ficar no peso e na forma ideal. Parabéns pela sua luta, e vc se tornou mais uma pessoa que admiro. Um forte abraço. Safira

    Responder
  108. lanynha

    caraca!!!!!!! queria ter essa força de vontade que vc teve.
    eu quase nao tenho roupas,pois nao faço questao de comprar.tudo fica feio em mim.
    parabens pela sua determinaçao

    Responder
  109. Nahemah Quécia

    Oi Carla, a sua superação com as formas do corpo é realmente incrível. Sou estudante de Jornalismo, trabalho como auxiliar de enfermagem para sustentar a mim e a minha filha. Antes de me casar eu pesava 63 kilos, na gestação passei a pesar 100 kilos, atualmente estou com 110 kilos. Minha filha tem 18 anos e eu não consigo diminuir o meu peso. Com três mêses de gestação, o meu marido foi embora por que eu pesava 80 kilos. Me sentindo rejeitada e com vergonha do meu corpo, eu desisti da vida a “dois”, só vivo para a minha filha, o meu trabalho e os estudos. Quero um dia chegar a superação e voltar a ser feliz como eu era antes de me casar. O seu relato me faz pensar e refletir que a hora de uma grande mudança e transformação na minha vida está chegando, acredito que a palavra chave seja, “aceitação”, pois quem está vivo, precisa viver… Um forte abraço e muito sucesso.
    Nahemah Quécia.

    Responder
  110. Sandra Alves

    Oi Carla, sua história é muito linda e super interessante. Meus parabéns. Vc é uma pessoa guerreira e muito bonita, além disso tem uma mãe amiga que te apoia e um filho lindíssimo e saudável. Você é uma pessoa feliz, se redescobriu e se aceitou. Não sou “gorda” mas estou muito fora de forma e confesso que isso me deixa muito desanimada. Gostaria muito de me aceitar como sou, mas infelizmente ainda não consegui.
    Faço tratamento com fórmulas manipuladas há muitos anos, já consegui chegar ao peso ideal mas diante de tantos problemas no dia a dia voltei a engordar tudo de novo. Agora com muito esforço e uma alimentação totalmente errada cheguei ao manequim 42. Porém ainda faltam uns 10 quilos pra eu atingir minha meta, pois com 65 quilos ainda não estou de bem com meu corpo. E com isso é desânimo em cima de desânimo, e só me resta continuar com as fórmulas e arrumar um incentivo pra voltar a malhar, já que parei porque não tenho mais ânimo.
    Por isso quero te dar os parabéns,pois vc conseguiu se aceitar e ser feliz. Estou torcendo por vc. Beijos.

    Responder
  111. Ângela Vilela

    Olá Carla!
    Parabéns pela sua superação, e pelo seu filho lindo.
    Segundo o ditado de manequins, sou 44/46, mas isso não me importa muito, porque quando me olho no espelho, eu consigo enxergar nele a idade, o peso e o processo de envelhecimento que a idade me traz(47), e até outras coisas que me são próprias devido a genética.Mas ao olhar-me, eu consigo gostar de mim do jeito que sou, porque eu me amo e sou muito mais do que o meu corpo. Então, o que a gente tem que fazer é se alimentar bem, praticar exercícios, viver um dia de cada vez, sorrir e sorrir, e ser feliz. A gente merece, pois estamos aqui para isso.
    Faça com que seu filho pense em você como uma pessoa que vale a pena estar perto.
    Felicidades sempre.
    Beijos.

    Responder
  112. Denise

    Olá. Parabéns por sua força. Mas eu? Me sinto triste, nunca fui gordinha, mas depois da maternidade engordei e não consegui emagrecer desde então, meu filho tem 7 anos e é maravilhoso. Hoje não me olho no espelho e quando faço isso me sinto mal, minhas roupas não cabem e quando meu marido me deu um presente de final de ano ele comprou uma roupa dessas lojas GG, fiquei ainda mais triste, me sinto frustada e infeliz, não consigo parar de comer e minha vontade é colocar tudo para fora mas não faço, não posso ficar doente tenho um filho para criar. Não me sinto bem comigo mesma. me sinto uma fraca e horrorosa. Você ainda tem a sorte de ser bonita, mas eu? sei que sou feia, nem o rosto me ajuda. Desculpe o desabafo. Bjs. Queria um dia ser assim e me aceitar.

    Responder
  113. Paula

    Oi, estou acompanhando a sua coluna e achei o máximo, a ditadura da beleza que não se pode alcançar tem que acabar, ao contrario de você eu ja fui magra pesava 55Kg mas qdo menstruei aos 14 anos desenvolvi ovario policisticos e ganhei muito peso, com isto os médicos me disseram pra eu ficar satisfeita pois de todos os sintomas colaterais do ovario policistico ( hisurtismo, acne e obesidade) eu tinha desenvolvido a mais aceitavel e que meu rosto “era lindo”, nunca me conformei e desde então vivo de dieta, numa luta eterna luta contra a balança, hoje com 30 anos uma gravidez de gemeos e tratamento para polimiosote ( corticoides e imunossupressores) cheguei aos 108Kg eu entrei em depressão e quase cheguei a fazer uma cirurgia de estomago, minha salvaçaõ foi a minha psicologa, ela me abriu os olhos pra aceitação que eu mesma devia ter de minha condição e que que metas como peder 30kg eram demais, tudo deve ser aos poucos e não existe milagre, hoje 10 kg mais magra sei que não voltarei a pesar 55kg e que talvez serei uma fofinha pelo resto da vida, mas pelo menos hoje eu sei que o meu rosto é mesmo lindo e graças a Deus tenho uma marido que me ama do jeito que sou ( ele gosta de gordinha) e tenho uma familia linda, minhas princesinhas Mariana e Melissa que me fazem ir em frente mesmo que tudo pareça estar contra mim. O

    Responder
  114. Kássia

    Vc é linda !!!
    Adorei sua história..
    Sempre tive problemas com a balança, sempre fui chamada de elefante pelos “amigos”, saco de batata e por ai vai.
    É muito dificil a gente se aceitar, sendo lembrada toda hora dos quilos a mais…
    Me sinto feia, desengonçada, horrível, mas vou mudar…
    grande abraço…
    Obrigada pela ajuda

    Responder
  115. MAURICIO RIBEIRO

    SEUS COMENTARIOS SÃO MUITO COMOVENTE, MAS TENHO UMA FILHA PEQUENA QUE JÁ SE PREOCUPA COM O PROBLEMA DE ENGORDAR ATÉ PORQUE ELA VÊ VÁRIAS REPORTAGEM SOBRE OBESIDADE QUE ESTÁ SENDO TRATADA COMO DOENÇA EM VÁRIOS PAÍSES.
    COMO FICA A CABEÇA DELA VENDO QUE AS PESSOAS TEM À GORDURA QUEREM MOSTRAR QUE ISSO É NORMAL?
    BJS,
    MAURICIO / ANA BEATRIZ

    Responder
  116. Luciana

    Olá, Carla!!! Adorei sua história. Também sofri e sofro com as consequências de estar acima do peso, e além disso, sou baixinha… Fala Sério!!! Nem na gravidez engordei tanto como hoje… Sinto-me péssima! Não tenho ânimo para me arrumar, sair, dentre outras coisas.
    Minha alegria é minha filha de 4 anos que sempre fala: “Mamãe você é linda, muuuiiito linda!!!” rs

    Responder
  117. marcia oliveira

    Sou Jornalista, 31 anos, uma filha de 4 anos, esposo maravilhoso, também jornalista.
    Aos 22 anos, cheguei a pesar 65Kg. Mas agora, 94Kg.
    Descobri que não emagrecia devido uma doença chamada, Doença de Cushing (um tumor na hipófise, glândula que se localiza embaixo do cérebro, e não tem cura, por causar recidiva). Dentre a obesidade causada pelo tumor, segue-se várias outras complicações como osteoporose, cardiopatia e atrofia muscular, isso sem falar na Depressão permanente. Já não sei sorrir, preciso aprender novamente. Estou quase desistida. Mas o que me dá forças para querer acordar todas as manhãs é saber que minha filha precisa de mim, mesmo com toda essas bagagem de desabores. Tento reagir a tudo isso, lembrando sempre do filme: “A Vida é Bela”. E o exemplo que o ator dá para seu filho num campo de concentração, demonstrando que tudo está bem e que precisam seguir as regras da brincadeira. Grata, Marcia.

    Responder
    1. carlamanso

      Márcia, fiquei emocionada com a sua história…
      Não desista pela sua filha e não desista por você também!
      Eu sugiro que viaje com o marido, faça um piquenique com a sua filha… Tire fotos lindas da família para relembrar os bons momentos todos os dias… O sorriso volta naturalmente!!!
      Tenta encontrar a felicidade nos pequenos momentos que passa ao lado de quem você gosta, porque eu sei que ela está aí… A felicidade está aí! Família é uma benção em nossas vidas, Márcia!!! O formato do seu corpo não pode impedir que você se encontre com a felicidade!

      Responder
  118. Leandro Manso

    Oi Carla, será que somos parentes, meu nome tambem é Manso, Leandro Manso, minha mãe é Suely Manso, vc lembra de alguem com esses nomes na sua familia??? gostei da sua história, parabens….

    Responder
  119. Silas Pires

    Carla, gostei de sua história de sua passagem como fofinha, corpo ideal e da mãezone que vc tem. Parabens pelo seu sucesso e sua alta estima. Costumo brincar com minha esposa “se vc emagrecer pode voltar para casa de seus pais” rsrs… Adoro minha esposa, porque o obeso sou EU. abraço e felicidades

    Responder
  120. susu

    olha so nao te pesso em casamento por tres mutivos:sou mulher,tbm; sou csada ;e vc e casada(rsrsrsrssrsrsrsrkkkkkkkkkk)mas vc e muito linda amiga e sua coragem ainda mais bonita.to nesse processo e como e dificil gostar de como realmente somos e nos valorizarmos.as vezes me sinto tao impotente e fracassada.mas obrigado por este apoio.que PAPAI DO CEU te ilumine e ilumine essa familia tao linda.desculpa pela brincadeira do casamento.e que fique uma reflexao a vc:a vitoria começa no dia em que resolvemos ganhar.abraços!

    Responder
  121. Loli

    Carla, você é lindíssima, na foto em que vc tá grávida do filho vc tá parecendo uma modelo. E não acreditei quando vc disse que vc tava com 103 quilos ali, não parece mesmo. E seu filho também é lindo!

    Responder
  122. Natalia

    Carla li seu email mutas vezes! vc está de parebéns,primeiro por demobstrar personalidade já que, é preciso muita coragem para ñ seguir os padrão
    considerado ideal.Até pq se o fossemos seguir imagina? 1° as pessoas muito acima do peso eram consideradas divindades, depois chegou a onda das magrelas sem nada igual a Gisele e agora das corpo de academia estilo homem!já vi muitas meninas tomando hormonio nas academias só p seguir a tendência da moda(isso digo eu que vivo no RJ)..sai fora!quase morrer pra satisfazer modismos?ser feliz é oque importa!seja vc gorda ou magra uma mulher sempre é bonita se souber valorizar acima de tudo sua beleza individual..que a diferencia das demais!E hoje em dia ficou tão comum ser só bonita né?fala sério conteúdo é importantíssimo e isso vc tem de sobra!
    BOA PASCOA!bjos Nati

    Responder
  123. Laura

    Querida Carla:
    Quanta identificação! Quer dizer, entre mim e vc, em alguns pontos, é claro. SEMPRE FUI GORDINHA, igual a outra moça que postou o comentário anterior. Sempre, sempre, sempre. Mas sempre usei biquini, sabe, short, bermuda, blusa sem manga, até hoje uso e já estou com 46 anos. Tb passei por todas as dietas, tb tomei sibutramina, somente essa, tenho medo de droga, qq droga. Agora, gosto de beber vinho e cerveja nos finais de semana. Então, tb parei de brigar com a balança. Ela é a minha melhor amiga, pois me avisa quando ultrapasso os limites que eu e ela combinamos. Faço exames médicos anuais (ou semestrais, depende do caso) e eles tb me dizem quando estou andando mal. É isso aí: tem que tomar cuidado com a saúde. A gente não é decoradora, mas a beleza interior, com a saúde em dia, e 3 ou 4 dias de caminhada, tudo isso junto, esta é a melhor receita para ser gordinha e feliz.
    Bjs, feliz páscoa, vamos comer somente um ovo de páscoa, os demais são para as filhas lindas (tenho duas que, graças a Deus, puxaram a genética do pai).
    Laura

    Responder
  124. Xuxu

    O mais importante é sermos felizes, confesso que não é nada fácil diante da atual ditatura da beleza. Mas tantas pessoas no mundo tem problemas de verdade e nós nos preocupamos com o que vemos no espelho… Confesso que já fiquei deprimida várias vezes pelo fato de estar fora de forma, mas busco ressaltar o que realmente é importante na vida! Olhe no espelho e veja: como somos perfeitos!!! Quantas pessoas gostariam se ver num espelho e não conseguem? porque tem algum tipo de deficiência e não exergam! Quantas gostariam de ver um braço mesmo que fosse com umas gordurinhas, mas não têm braço?Quantas gostariam de ver pernas “roliças” e não podem? porque não as tem?Gente temos que nos cuidar porque não somos lata de lixo, como disse La Gizele, mas também não devemos nos martirizar e depositar todo nosso prazer de viver apenas nisto. Bom exemplo dessa garota!!!!!

    Responder
  125. cris

    adorei saber que voçe se gosta agora , pois eu passo por este dilema também , assim como também tenho uma filha de 8 anos que me acha linda , tenho uma profissão de velha ., a qual gosto costura……..mas sempre ouço : levanta essa bunda gorda………quando cento por estar cançada ….de costurar………..só tenho 35 anos……….mas me sinto com 100 anos , por estar só, gorda com aquela barriga ,pouco dinheiro para me vestir decentemente , e ao mesmo tempo por ter realizado o meu sonho de ser mãe,,,,,. é a unica alegria da minha vida……..real,porque mesmo me olhando no espelho me achando linda, quando saio na rua a realidade toma conta,,,,,,,passa a gostosa que não faz nada , dentro de um carro levando o seu filho na escola,,,,,,,,e eu.., eu a pé de tenis levando o meu anjo para a mesma escola……..as diferenças estão em todos os lugares, e se voçe não tiver um motivo que te fassa sentir importante……….é melhor se esconder porque o mundo é cruel , as pessoas são cruéis………

    Responder
  126. Elisangela N. Alves

    Oi Carla!! Fiquei muito emocionada ao mesmo tempo feliz em saber que vc dia apôs dia vc se sente cada vez mais confiante e feliz!! Não sou gorda, ao contrário sou bem magra e trabalho como modelo de prova de roupas usando o manequim 38, porém sua historia me fez refletir muito e pensar em meu namorado. Pois eu tenho um namorado gordinho (usa 46/48),porém eu o amo muito e sofro muito preconceito por ser magra e ele mais gordinho.Quantas vezes ouvir de “amigas” pra deixar ele pois ele é “diferente! de mim, e que “não combinamos” fisicamente!!! Pode?? Já tive namorados magros, bonitos ,esses “padronizados” que as mulheres procuram e não são felizes…mas nenhum deu certo!! É claro que há homens maravilhosos magros ou gordos,o que prevalece mesmo é o caráter!!! E vendo suas fotos de quando vc era criança, adolescente, lembrei do meu namorado. Ele tem 5 irmãos, e desde pequeno ele sempre foi o mais “fofinho”, mas ele era e é, o mais bonito dos irmãos! Seus olhos e cabelos e o rosto era e ainda é o mais bonito ,até sua mae dizia que ele se destacava como o mais bonito, pois parece com ela.Porém, ele crescia sendo gordinho.Pelo que ele me contava sofria preconceito dos irmãos, mais magros, pois eles podiam ter as melhores mulheres e ele nao, só namorava as feinhas e as gordinhas. Durante um período, ele me disse que se isolou, começou a estudar muito,amigos ele tem poucos, mas bons amigos.Concluiu 2 faculdades, também teve seus períodos de dietas loucas, emagrece engorda,mas se asumiu. Hoje ele é o único dos irmaos mais bem resolvidos financeiramente, emocionalmente, assume suas formas,se veste bem,não fuma e nem bebe, tem uma namorada bonita (Eu, né?).Quando conheci pensava que não ia dar certo, mas ele é tão amavel e tão confiante, um senso de humor maravilhoso, me trata como uma princesa, que me conquistou! Ele é maravilhoso pra mim!!Hoje não ligo a mínima se fala bem ou mal, o importante é que somos muito felizes!!!Eu namoro um gordinho e sou muito feliz!! O preconceito só apodrecea mente dos ignorantes!!

    Responder
  127. lucineia mendes chaves

    Olá Carla,
    já me senti várias vezes mal, muito mal por não estar dentro do padrão de beleza que o mundo exige, por ser criticada, alvo de inúmeras brincadeiras.
    E eu como vc, adoro usar e abusar das maquiagens, das diferentes cores e cortes de cabelo, e tudo isso começou a partir de uma depressão que me fez engordar 40kg, luto para reaver meu corpo de antes, pela primeira vez estou fazendo dieta com acompanhamento médico, os resultados começaram a aparecer…Gostaria de manter contato com vc
    tenho tanto pra dizer, confessar…

    Responder
  128. Marisi

    Carla,
    você me emocionou com sua história principalmente porque vivi a mesma situação com minha filha. Sei mto bem tudo o que você e sua mãe passaram.
    Você é realmente uma princesa, uma linda princesa guerreira. Minha filha também o é e nós mães também o somos. Este maldito preconceito acaba com todos nós.
    Nunca deixe de ser esta pessoa maravilhosa que se ama.
    Um grande abraço,
    Marisi.

    Responder
  129. Simone

    Adorei sua história, que aliás é também um pouco da minha história. Espero que um dia supere meus dramas com a balança assim como você superou os seus. Luto por isso mas você bem sabe como é dificil. Um abraço e um beijo para todas nós MULHERES MARAVILHOSAS…….

    Responder
  130. josiane

    Olá Carla. Li sua história e me identifiquei em alguns aspectos. No momento iniciei tratamento contra obesidade, com acompanhamento de endocnologista, academia e massagem de drenagem linfática. O motivo deste conjunto de ações é porque por três anos literalmente me abandonei – priorizei o lado profissional; e despertei para o que estava fazendo comigo, quando meu pai chamou minha atenção pelo fato e estar com a respiração alfegante assim que acordava. Bateu preocupação em como estava minha saúde. Ao passar com endocnologista, então com 93 kilos para 1,63 altura – como todos devem fazer- ela me apresentou riscos que corria, entre eles dificuldade de gestação. Tenho 31 anos, solteira e pretendo ter filhos sim! Acredito que foi o “clic” que faltava para conscientizar e ir atras do prejuizo – por mim, pela minha saúde. Hoje faço academia 3 vezes çpor semana, massagem de drenagem linfática e recentemente minha endocnologista passou remédio para acelerar a perda de peso; mas não quero depender dele por muito tempo. Acho importante seu depoimento como estimulo para nós, pois vc É muito bonita, e se deseja emagrecer – para o peso ideal, nãopara o que querem – seja para estar bem consigo mesma, para sua saúde é o mais importante. Parabéns pelo seu filho, é lindo!! Forte abraço
    Josiane.
    .

    Responder
  131. Camila Pinto

    Bom dia Carla.

    Peguei um pouquinho do meu tempo pra poder ler sua estória. Nós, gordinhas, não temos como não nos identificarmos com você, pois todas passamos por preconceitos e aquele esteriótipo de mulher com o corpo ideal, mas só nós podemos nos fazer felizes assumindo o que somos, afinal de contas o corpo é só um meio de estarmos na terra, o que vale mesmo é o que cada uma de nós somos. Pessoas como você, como nós que nos assumimos sem ligar pro que as pessoas vão falar é que somos felizes, pois nos aceitamos do jeito que somos.
    Obrigada pela estória, só reforcei a minha idéia de que não precisamos de um corpo perfeito pra sermos felizes.
    Bjos, Camila

    Responder
  132. Ana Fatima

    Adorei ler sua historia,sofri tbm com o engorda e emagrece,tinha problemas com o cabelo, não tinha dinheiro nem ninguem para investir em mim financeiramente.Mas,sempre acreditei que um dia dava a volta por cima e superaria todo esse dilema.Hje,já não sofro com mais nada disso,procuro apenas viver de forma saudavel e continuar com a esperança de que um dia serei plena,realizada e feliz..Que Deus a abençõe e que vc tenha todos os seus sonhos e desejos realizado.Estou na torcida.
    Bjokas…

    Responder
  133. Cláudia Oricchio

    Carla, parabéns. Passei por tudo isso, e ainda por tratamentos contra compulsão alimentar, a medicação me deixava fria, uma morta-viva. Hoje com 43 anos e dois filhos gordos tento mostrar p/ eles quanto tempo perdi fazendo outras pessoas felizes, eles entendem mas a cada vez que eles têm uma consulta médica, temos que escutar as nutricionistas pálidas, magrelas e nitidamente infelizes nos dizer que… bem vc sabe tudo o que elas dizem. Nos conte mais de vc. e se puder incentive outros adolescentes a assumir a própria identidade. Lucas parabéns por amar demais, vc é lindo.

    Responder
  134. paula

    Sua historia e linda, vc e linda ,seu filho um fofo mais lindo ainda !!!
    Parabens pelo exemplo de mulher que relatou para seus leitores, vc nos torna orgulhosas de sermos simplismente pessoas, mas com o diferencial de enchergar-mos a importancia da essencia de cada um.
    Felicidade sempre para vc e Lucas !!

    Responder
  135. Edson Rosa Brise

    Realmente uma bela história, uma pessoa de garra e fé, e é isso o que realmente importa!…Eu lembro quando me mudei de São Paulo para Caraguatatuba, quando fiz um circulo de novas amizades, todos magrinhos, menos uma menina do grupo, que hoje é uma das minhas melhores amigas, a unica gordinha da turma, era frequentemente pressionada por nós a emagrecer, para que a “”turma”” fosse apenas de magrinhas(os). Para que? Para nós fazer felizes? Hoje percebo o erro em que cometes e pedimos desculpas a ela, e mesmo não estando nos padrões “ideais” vemos ela como umalinda garota e acima de tudo feliz, independente do peso.

    Responder
  136. Eliana

    oi carla adorei a sua história, que bom que vc tá feliz agora. eu tenho 33 anos e vivo lutando para emagrecer, como é dificil já fui em varios médicos saber porque engordo tanto pois não como muito, eu como normal eu acho que até pouco, mas continuo engordando incho muito tambem no calor, eu acho que meu problema é piscologico. já pensei em procurar um piscologo. um beijo e aguardo a continuação da sua história ok.

    Responder
  137. Cleide

    Todos nós deveriamos ser mais do que a forma de seu corpo, seja magrinho ou gordinho ! Parabéns á você e principalmente a sua mãe que lhe deu todo o apoio e que sempre te aceitou como você realmente é, a verdadeira base da vida começa em casa e você teve isso para se tornar essa pessoa de grande beleza e valor.
    Felicidades às duas… e ao Lucas também.
    Bjus

    Responder
  138. DRI-K GOMES

    PARABÉNS, CARLA…GOSTARIA DE SER COMO VC, MAS AINDA NAUM CONSEGUI ME REDESCOBRIR, SOU GORDA PESO 100KILOS, E NAUM SOU SATISFEITA ASSIM, JA CHEGUEI A PESAR 70KQ ANTES DO MEU CASAMENTO E DO NASCIMENTO DAS MINHAS PRICESAS, TENHO DUAS…UMA DE 14 ANOS E OUTRA DE 2 ANOS E MEIO…HOJE TENHO 34…E NAUM ME SINTO SATISFEITA COMIGO, ESTOU TENTANDO DE TUDO…NO MOMENTO ESTOU ENFRENTANDO UMA ACADEMIA…GOSTARIA MUITO DE ME REDESCOBRIR…MAS CADA VEZ Q SAIO PRA COMPRAR UMA ROUPA, É UM TRANSTORNO…ATÉ DESÂNIMO…NADA FICA BOM…NAUM SEI O Q FAÇO…NAUM SINTO VONTADE DE NADA…BJS…

    Responder
  139. Priiii

    Oi Carla….
    me identifiquei muito com vc, achei o maximo vc contar sua historia, tem muita gente que com certeza tem uma historia parecida com a sua, eu tambem nao faço parte do padrao de beleza 50 kilos, hehehe…. ainda não me aceito, mas estou nesse processo algum tempo… mas quero deixar meu abraço a vc, hoje virei sua fã, pode acreditar!!! bj

    Responder
  140. Anonimo(quase) Trabalhando

    Carla, entrei na sua coluna, por um motivo qualquer.
    Mas vamos ao conteudo da sua coluna “mulheres + gostosas” . Vc tem um rosto lindo.Ponto. Assim não é mais facil gostar do corpo etc etc etc etc. E se o seu rosto fosse feio, será que seria a mesma coisa ??

    Abraços

    Responder
  141. Terezinha Pinheiro

    Muito linda sua história,Carla ! Serve de exemplo a milhares de pessoas que, sem medir as consequências ,cometem verdadeiras atrocidades em busca do “corpo perfeito” …
    Ao olharmos para sua história,Carla, nos deparamos com o tamanho GG de nosso preconceito !…

    Responder
  142. Liliane

    Oi, Carla. Fiquei emocionada com sua história. Eu sempre fui gordinha. Nem me lembro de ter tido, nem na tenra infância, um corpo magro. Também passei por muitos preconceitos, por muitas camisas desformes para esconder a barriga, etc. Praia? Vestido? Alças? Passei anos sem usar. Cheguei a pesar 65kg, mas depois do casamento e de uma filha lindíssima, estou nos 88kg. Confesso que hoje consigo me arrumar e me achar mais bonita que antes. Tanto roupas, maquiagem, cabelo estão bem melhores porque assumi que sou gorda (não perjorativamente, claro). Mas que sou assim, e daí? Claro que não quero chegar aos 100kg, mas acredito que viverei muito bem pesando uns 70kg… rsrs.
    Parabéns por descobrir quem você é e não quem os outros pensam que você deveria ser. É uma luta interna muito intensa e que somente nós, que passamos por isso, sabemos o que é.
    Como é bom comer um chocolate sem culpa e sem saber quantas calorias ele tem, não é mesmo?
    Um grande abraço,
    Liliane

    Responder

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>